Ghost Rider - A estrada da cura

Titulo: Ghost Rider - A estrada da cura
Autor: Neil Peart
Editora: Belas Letras
Páginas: 528
Edição: 1
Lançamento: 2014
Sinopse: Após a morte da única filha, Selena, e da esposa, Jackie, o músico Neil Peart se transformou em um fantasma – um homem sem motivação, esperança ou fé. Sozinho em casa, convivendo com as lembranças, ele decide pegar a estrada com sua moto, uma BMW R1100GS, para rodar por 90 mil quilômetros, sem destino, em busca de um motivo para preencher o vazio que sente. Esta é a história real de um homem que partiu carregando a morte e o luto, mas transformou sua jornada em uma poderosa narrativa sobre a solidão, o amor e, acima de tudo, a paixão pela vida, mesmo quando tudo ao nosso redor nos leva a desistir dela.
“Embora nós vivamos em tempos de provação-
Somos aqueles que devem tentar
Embora saibamos que o tempo tem asas-
Somos nós que devemos voar” – Everyday Glory
Resenha

Esse é um relato de viagem que realmente aconteceu com o autor, Neil Peart, um baterista de uma banda canadense que perdeu a filha e a esposa, e decidiu viajar para encontrar a si mesmo. Indo do Canadá até o Alasca, o autor conta detalhadamente cada passo seu e o que ele estava pensando, e já no inicio, deixa bem claro que está perdido emocionalmente.
“Nos últimos tempos, eu tinha escrito para um dos meus amigos: não sei quem sou, o que estou fazendo, ou o que devo fazer. Eu só podia esperar que o tempo me dissesse.” – página 26 
O livro tem pouquíssimos diálogos, talvez de cinco a dez em cada capitulo, e confesso que senti falta de conversas. Ler um livro pelo ponto de vista do autor é maravilhoso, mas ás vezes alguns diálogos fazem muita falta.
Neil não é daquelas pessoas confusas que mal sabem o que querem, ele tem um objetivo, e mesmo estando despedaçado e solitário, ele vai cumprir seu desafio junto com sua BMW, que agüentou tanta coisa que eu fiquei impressionada por ela continuar inteira.

Apesar de estar longe de casa, Neil não fica longe dos amigos. Ele escreve cartas e mais cartas contando suas aventuras para algumas pessoas e os sentimentos que estão tomando conta de si naquele instante.

Quando peguei o livro, fiquei imaginando como seria a história. No inicio imaginei que fosse algo fictício, mas depois li a sinopse e percebi que se tratava de uma história real; normalmente histórias assim tendem a ser mais tocantes, principalmente quando se tratam de alguma perda, como foi o caso de Neil e as duas mulheres de sua vida (Selena e Jackie), mas não cheguei a ficar tocada por ela em momento algum, mas a forma que Neil coloca seus sentimentos e pensamentos é bem encantadora. 
“Sem saber, eu havia identificado uma parte sutil, mas importante, do processo de cura. Não haveria paz para mim, nem vida para mim, até que eu aprendesse a perdoar a vida pelo que ela havia feito comigo, perdoar os outros por ainda estarem vivos e, finalmente, perdoar a mim mesmo por estar vivo.” – página 55 
O livro é grande, e a história muito cansativa. Levei dias e mais dias para finalizá-lo, e quando o fiz, senti um alivio tão grande por não tê-lo deixado de lado, que já fui ler outro livro. É horrível desejar que um livro acabe só para ler outro, isso acontece raramente comigo, e somente com livros que realmente não são muito legais. Desde a página cem, mais ou menos, já sabia que A estrada da cura seria um livro cansativo e cheio de detalhes exagerados, mas ainda tinha aquela esperançazinha de que ele daria um “tchãn” e ficaria mais legal. 
“-Sabe, eu pensava: A vida é ótima, mas as pessoas são um saco. Mas agora eu tive que admitir que é o oposto: A vida é um saco, mas as pessoas são ótimas” – página 49 
Não sabia o que esperar do final do livro. Toda vez que Neil subia uma montanha ou algo parecido, ficava pensando que ele iria pular e se suicidar, mas se ele tivesse feito isso, como escreveria o livro? Não tinha sentido algum, então tentei não especular e ver logo o que viria a seguir.
O final me surpreendeu, foi uma coisa inesperada e a única coisa que me deixou surpresa, fiquei feliz ao perceber isso. 
Uau, é isso aí! Eu sou o Ghost Rider. Os fantasmas que carregava comigo, o modo como o mundo e as vidas das outras pessoas pareciam irreais e diáfanas e como eu mesmo me sentia alienado, desintegrado e desligado da vida ao meu redor. É isso ai, pensei, sou bem eu mesmo. Eu sou o Ghost Rider.” – página 129

MilkMilks
Dryh Meira

18 comentários

  1. A temática do livro parece-me bastante interessante. Fiquei curiosa para saber um pouco mais dos sentimentos que atormentavam esse pai.

    Beijos,
    Blog | Youtube

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O principal sentimento é o de perda né, mas ele é um homem bem confuso, e como você disse, atormentado :/

      Excluir
  2. Gostei, nunca tinha conhecido um livro assim.
    Amo esse estilo ♥
    Adorei a resenha, xoxo
    sorrisoselivros.com

    ResponderExcluir
  3. Adoro histórias reais! Estou com o livro aqui e louca para ler. *-*
    http://apenas-um-vicio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também gosto bastante, histórias reais tocam mais né?!

      Excluir
  4. Gostei dos quotes, mas mesmo assim não me chamou muita atenção >_<

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro tem bastante quotes lindos, mas é só isso :/

      Excluir
  5. Conhecia esse livro , ele e bem falado :3 mas não me conquistou tanto assim haha ;) A capa dele é muito bonita e as sinopses me deixou bem interessado mas também me deixou com um gosto de história sem sentido kkkk ( acho que não é assim né rs ) Mas adoro essas histórias reais , bora ler e ver o que acontece ! Ótima resenha *u* Quotes lindas :)
    Beeijos !
    Um Grande Vício Literário *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não encontrei muita gente falando bem dele *-* no skoob a média é bem baixa :/

      Excluir
  6. Não conhecia, mas... nossa! Estou dividida, por um lado quero lê-lo por causa da história em si e por outro lado não estou muito empolgada porque você falou que é cansativo e sem diálogos, o que não me atrai. Mas enfim, beijão!
    coff-cake.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro em si é interessante, mas o autor acaba acrescentando coisas desnecessárias :/

      Excluir
  7. Não conhecia o livro, a história parece ser interessante, ainda mais por ser uma história real, mas senti que é um livro bem cansativo pelo formato que é escrito, gostei muito da sua resenha, bem sincera.

    Obrigada pelo carinho. Beijos :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderExcluir
  8. Que bom que ao menos o final te surpreendeu RSrs
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá, Dryh!
    Respondi a tag "4 x 4 em 2014" no meu blog e indiquei você para responder também. Espero que não se incomode e, se possível, responda também.

    Beijos,
    Blog | Youtube

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Nina ^^ responderei até semana que vem ^^

      Excluir

Oiê! Muito obrigada por passar por aqui, deixe um recadinho com o link do seu blog e a gente dá uma passadinha lá mais tarde :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...