O Velho Decrépito

Olá a todos!

Hoje trago a resenha de um livro que me surpreendeu bastante, depois que fui pegar ele no correio, fiquei com uma curiosidade imensa para ler. Adiei algumas outras leituras e me aventurei nessa leitura.

Título: O Velho Decrépito
Autor: Eduardo Virgili (cortesia)
Editora: Livrus
Ano: 2016
Páginas: 115
Sinopse: Nesses contos, o leitor encontrará uma sensação de proximidade, um pouco pelas histórias comuns à nossa vida cotidiana, outro tanto pelo intrincado envolvimento com o psicológico dos personagens. Grosso modo, trata-se das reminiscências de um velho que, à beira da morte, divaga sobre acontecimentos de sua vida, descritos de forma fantasiosa em textos distintos. Os contos, repletos de referências e com algum toque espaçado de ironia, complementam-se através de elos sutis. São quatro- duas adolescentes que descobrem a vida e suas surpresas; um pescador que se apaixona não pelo mar; o homem que perde a mulher ficando sozinho no mundo e, por fim, o velho que aguarda a morte chegar. Ou, em suma, o ciclo- nascer, crescer, reproduzir e morrer.

Resenha

O Velho Decrépito é um conjunto de 4 contos que são separados por capítulos. Os temas abrangem; solidão, amor e morte. Podem ser vistos como temas universais. O grande forte do livro como um todo é o ritmo, cada conto e momento tem um ritmo que remete a melancolia, característica de um velho decrépito.

Basicamente, são quatro histórias; a história de duas amigas na adolescência, um pescador que fica doente e precisa voltar a terra, um homem que perde a mulher, Maria, e última das histórias é a do Velho Decrépito.

Talvez ela, água, fosse encontrar um rio mais ao longe, em algum lugar, e devesse se vestir de marrom para ficar bonita, assim mais vistosa, causando boa impressão. Tudo lhe parecia muito lógico. 

Como dito na sinopse, as histórias são conectadas por elos sutis, é necessário um pouco de atenção por parte do leitor para detectar as semelhanças. Não é difícil entrar no personagem, pelo contrário, o livro é como uma imersão a coisas que alguns já presenciaram.
Um momento notável do livro foi no conto Juliana, quando um diálogo entre um velho amigo e uma paixão antiga parece ser um devaneio, se assimilando pelo que acontece com o relacionamento dos dois. É uma questão de ritmo e prosa, e disso, o livro não peca em nada.

O ciclo do livro se encerra com uma espécie de despedida do Velho Decrépito, que também acaba criando um certo elo com os contos anteriores. O ciclo dos contos não termina com muita música, talvez seja realmente como a morte, breve.
A todo momento o livro me remetia a uma espécie de melancolia, porém, uma melancolia da qual aprendemos a lidar durante a leitura, uma melancolia agradável. Os contos não são longos e há tempo de conhecer os personagens e também de se despedir deles.

Ainda não conhecia o trabalho da editora Livrus, responsável pelo livro do Eduardo Virgilli. Não encontrei nenhum problema de revisão (acho que já deixei claro que acho mais fácil encontrar erros de tradução) e as páginas são brancas. Para quem tiver interesse de ler, o que eu recomendo vorazmente, o livro está disponível na Culturaclique aqui para comprar

Recomendo esse livro para todos que procuram uma boa e curta leitura para essas férias, os que apreciam bons contos tem que dar uma chance. O Velho Decrépito é um bom livro que se resume a dois elementos; uma melancolia agradável e bom ritmo. Eduardo, quero seu autógrafo.

16 comentários

  1. Oi, Dry.

    Sério que esse livro é mesmo bom? Fiquei na dúvida seja pela capa ou pela história. Não sei... hehe

    beijos

    http://mecontanoblog.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Que resenha bacana, eu amei muito o livro, tanto a história, como a capa e o título também, tudo combina e trás um ar gostoso, amei demais <3

    www.memoriasdeumaleitora.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi, Heitor
    Estou conhecendo o livro agora e gostei de suas impressões. Gosto de contos e de livros curtos às vezes. Adoro também esse tipo de melancolia.
    Gostei bastante da dica e dos pontos positivos.

    Blog Livros, vamos devorá-los

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Estou me acostumando agora a ler contos e fiquei curiosa para conhecer cada uma das quatro histórias e tentar enxergar esses elos sutis entre elas!
    A premissa é bem interessante e adorei saber mais sobre a obra através de suas impressões. Os temas abordados me chamam a atenção e a melancolia presente também.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oie!
    Eu ainda não conhecia esse livro, mas fiquei bem empolgada com a leitura.
    Bem diferente dos que eu estou acostumada a ler, e vou anotar essa dica para conferir futuramente.
    bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  6. Oi, como a Carla disse aqui, também não conhecia o livro. Vou anotar a dica para quando estiver no clima para este tipo de leitura! Abraços!

    ResponderExcluir
  7. Olá.
    Sempre que temos um livro novo em mãos a curiosidade nos corrói né?
    Não conhecia o velho decrépito, mas gosto de contos. Só tem um porém, não me atraiu esse ritmo melancólico, mas como você ressaltou que ele tem um ritmo bom e é agradável, aceito a dica.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?
    Bom ver que a editora,que também não conhecia fez um belo trabalho de revisão com o livro. Essa melancolia agradável que me chamou atenção e me deixou hiper curioso pela leitura, irei dar uma chance.

    ResponderExcluir
  9. Olá,

    Não conhecia o livro, mas gostei desse ar obscuro e melancólico da história, parece ser uma obra muito interessante. Vou anotar a dica.

    Abraços,
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  10. Oi Heitor! ^^
    Ultimamente estou com vontade de ler mais contos, então sua recomendação veio em um momento perfeito. Fiquei bastante interessada nos temas que foram abordados e se eu tiver a oportunidade de ler irei! ;)

    ResponderExcluir
  11. Faz um tempo que não acho um livro de contos que me agrade, a maioria é cheio de contos e um faz o meu gosto, acho muito dificil uma pessoa conseguir fazer uma história que eu sinta que está completa em apenas algumas páginas, mas esse livro parece trazer isso

    ResponderExcluir
  12. Oi Heitor, tudo bem?
    Mandou muito bem como sempre na sua resenha, mas infelizmente dessa vez não me interessei muito pela obra, até pq não sou muito chegada em contos sabe? :/

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  13. Olá,

    Não tenho o hábito de ler contos e pretendo mudar isso esse ano, mas o enredo da história não me chamou a atenção, acho que é um daqueles livros que só lendo para saber se vou gostar ou não. Mas, fico feliz que tenha gostado da leitura.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Olá,
    Eu não conhecia o livro e como adoro livros de contos fiquei curiosa. Quero saber como o autor utilizou a melancolia presente no livro e como os contos foram conectados. Adorei a capa.
    Beijos,
    Delírios Literários da Snow

    ResponderExcluir
  15. Oii, tudo bem?
    Não conhecia o livro e nem o autor, mas eu gostei bastante da premissa dele na resenha e se eu tiver a oportunidade certamente lerei.
    Amei o post, parabéns pelo blog maravilhoso.

    ResponderExcluir
  16. Eu não conhecia o livro e através da sua resenha eu pude perceber que parece ser uma leitura incrível, fiquei curiosa para conferir também.

    ResponderExcluir

Oiê! Muito obrigada por passar por aqui, deixe um recadinho com o link do seu blog e a gente dá uma passadinha lá mais tarde :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...