Noturnos

Olá á todos!
Hoje trago a resenha de Noturnos, de Kazuo Ishiguro, autor ganhador do Prêmio Nobel 2017.

Título: Noturnos
Autor: Kazuo Ishiguro
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 216
Lançamento: 2017
Sinopse: Nesta reunião de cinco narrativas, Kazuo Ishiguro deixa de lado a solenidade distendida dos romances para dedicar-se à concisão, à leveza e ao humor concentrado do gênero curto. Noturnos traz contos sobre instrumentistas e amantes da música, de diversas partes do mundo. Tony Gardner, um velho crooner americano, já não desfruta do mesmo prestígio, mas para o jovem músico Jan ele ainda é um ícone. O consagrado cantor o surpreende ao convidá-lo para uma parceria inusitada. Um professor de inglês que vive na Espanha, amante dos standards americanos, vai a Londres visitar um casal de amigos, e se descobre numa roda-viva de ressentimentos e neuroses. Na mesma cidade, um músico procura emprego em uma banda, mas decide recuperar a inspiração nas colinas britânicas. Um saxofonista competente se rende à ideia de fazer uma plástica facial em Beverly Hills para entrar para o primeiro time da música. Um violoncelista húngaro procura se estabelecer na Itália, mas acaba seduzido por uma viajante americana. Nestas histórias, emoções suscitadas por belas melodias convivem com as limitações do mundo da música. Se o poder de tocar o sentimento faz dos músicos seres próximos da genialidade, as exigências do senso comum e da profissionalização os submetem a situações muitas vezes patéticas e hilariantes.

Resenha

Noturnos, reunião de 5 contos de Kazuo Ishiguro, é uma espécie de celebração melancólica a música e aos amores. Como já descrito na sinopse do livro, cada conto terá localidade e personagens diferentes, não há qualquer tentativa de 'laço' entre os contos. Até temas cotidianos como imigração e fama entram na mão delicada de Ishiguro nessa reunião de contos.

Com uma linguagem acessível e simples, cada conto é curto e narrado pelo ponto de vista do personagem principal do conto e parecem conter o estilo do autor quando tratamos de bom timing e descrições acirradas. Não entrarei em detalhes sobre cada conto, porém, meu predileto foi com certeza o segundo, chamado de Chova ou faça sol - nesse conto, os estilos musicais são discutidos e postos na mesa, mais do que isso, a ligação entre gerações e encontros é marcada pela música.

E o que essas canções dizem? Que duas pessoas não se amam mais e precisam se separar, é uma tristeza. 

O livro todo, por mais melancólico em várias passagens e descrições, consegue celebrar a música sem fazer distinções ou escolhas: o amor pela música é explícito e bem-vindo. Seja nas gôndolas da linda Veneza ou na fama massacrante de Beverly Hills e Los Angeles. Em alguns momentos, a ficção e o biográfico acabam colidindo, tamanha intimidade posta no jogo que se chama narrativa.

Quando Kazuo Ishiguro foi indicado ao Prêmio Nobel, fiquei um tanto espantado, pois esperava (perdoem meu preconceito, já erradicado) um autor de calibre como Modiano ou Saramago - ganhadores anteriores do Prêmio Nobel. Agora entendo a indicação do autor; a linguagem envolvente, simples e sucinta combinadas com uma preocupação com certos anseios modernos faz Ishiguro um autor de leitura quase essencial.

Talvez eu tenha pressentido uma boia salva-vidas, ou talvez só precisasse de alguém para desabafar (...)

Como já descrito anteriormente, a linguagem sucinta e direta do autor possibilita a imersão de todos os leitores nas melodias presentes nos diferentes contos de Noturnos. É uma leitura rápida, digna de um café pela tarde no verão (já admitindo que minha leitura acompanhou uma boa xícara de café).

Editado pela Companhia das Letras, esta é a nova edição de Noturnos, que já havia sido publicado pela editora. Esta nova edição conta com o miolo pintado em azul, característica que atribui charme ao livro. O livro foi originalmente escrito em Inglês e não em Japonês, já que o autor se mudou para o Reino Unido bem jovem.
Recomendo a leitura de Noturno para leitores de Haruki Murakami (conterrâneo de Ishiguro) e Mia Couto. Noturnos concede ao leitor diversas melodias entre contos banhados por música, melancolia e reencontros, será uma jornada harmoniosa - assim como o som de um violino.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...