Do outro lado

Oiee pessoas \0/

Hoje eu trouxe a resenha de um livro muito amorzinho chamado Do outro lado, publicado pela Editora Rocco faz pouco tempo. É um romance que, bem...digamos que ultrapassa as barreiras entre o mundo dos vivos e o céu! 

Título: Do outro lado
Autora: Carrie Hope Fletcher
Editora: Fábrica 231 (cortesia Rocco)
Páginas: 272
Edição: 1
Lançamento: 2017
Sinopse: Do outro lado conta a emocionante jornada de Evie Snow, que morre aos 82 anos, serenamente e cercada pela família, mas descobre que ainda precisa acertar algumas contas com o passado para que sua alma consiga chegar ao Paraíso. Nesta espécie de segunda chance, Evie se vê aos 27 anos e sabe que precisa se livrar de culpas e segredos antes que seja tarde demais. Mas assim que começa a refazer a própria jornada, ela percebe que sabia pouco sobre a própria vida e que precisa recuperar o verdadeiro amor para encontrar a paz.
Resenha

Sua alma está pesada demais para cruzar esta porta. Deixe o peso do mundo no mundo de outrora. Depois que ela estiver mais leve, sua chave vai virar, e o que você deseja acontecerá. – página 10

Quando Evie Snow morre, aos 82 anos de idade, ela vai parar numa espécie de sala de espera do céu/paraíso. Nessa sala de espera, (que é, na verdade o prédio onde ela morou aos 27 anos; e que foi um dos períodos mais felizes de sua vida), ela acaba descobrindo que não pode atravessar para o “céu” porque possui pendências no mundo dos vivos, portanto, sua alma está muito pesada. Evie ganha então uma segunda chance de consertar os erros de seu passado, e para isso ela conta com uma parede mágica que a leva para ver as pessoas que ama, ao mesmo tempo em que somos apresentados a acontecimentos de seu passado.

Quando li a sinopse desse livro, mesmo vendo que a protagonista ganhava uma segunda chance e recuperava seu corpo de 27 anos, voltando ao mundo dos vivos (ninguém a via, é claro), não imaginei que fosse ter elementos fantásticos. Mas têm, e isso me surpreendeu bastante. Normalmente eu não sou tão fã de histórias com sobrenatural ou fantasia, mas gostei bastante da forma como a autora colocou tais elementos aqui.
Evie é uma mulher que possui muitos segredos, e tais segredos a estão impedindo de descansar, então ela meio que precisa enfrentar o que sempre teve medo de enfrentar para poder seguir em frente. Ela não tem dúvidas sobre quais segredos a estão impedindo de atravessar, portanto, assim que descobre o que precisa fazer (com a ajuda de um velho amigo muito legal), ela vai e faz.

Seus olhos estavam grudados nela, e ele percebeu que ela irradiava um brilho. Estava bem ali nos olhos dela. Talvez tivesse origem no leve franzido do nariz quando ela sorria para ele, que fazia rugas se formarem nos cantos dos olhos, ou talvez fosse o modo com que suas bochechas emolduravam os olhos, mas, não importava o motivo, quando ele viu aquele brilho, só conseguiu escutar o próprio coração rindo. – página 45

Gostei muito de acompanhar sua jornada, e mais ainda de ver que a autora também nos conta o que aconteceu quando Evie tinha 27 anos, como conheceu seu verdadeiro amor (cenas de arrancar suspiros) e como tentava se soltar das garras de seus pais controladores e frios. Também vemos seus entes queridos após sua morte, quando Evie (a fantasma Evie) perambula e tenta revelar os segredos que a impedem de ir para o paraíso.

O livro é relativamente curto, a narrativa da autora é bem leve (com pontos divertidos, alguns tristes e muitos de arrancar suspiros), e os personagens foram muito bem construídos. Foi um pouco difícil para mim gostar de Evie, a forma como ela agia e conversava com seu primeiro amor (acho melhor não revelar seu nome <3) me pareceu um pouco fria e grosseira, e eu realmente não entendia como uma mulher de 27 anos não podia simplesmente tomar conta da própria vida e deixava a mãe (ô mulher chata) fazê-lo. Entendo que ela precisava pensar em outras pessoas além de si mesma, mas essas pessoas também não podiam dar uma ajuda?

O som ficou cada vez mais alto, e ela se perguntou como tinha vivido tanto tempo sem ele. Esse som fazia cada osso de seu corpo reverberar e cada terminação nervosa efervescer. Fazia com que se sentisse viva outra vez. – página 206

A editora super caprichou na capa, combina muito com a história (eu só entendi os elementos depois que li o livro), e não encontrei nenhum erro.
O final foi simplesmente lindo! Alguns fatores me deixaram com cara de “ai meu Deus, jura?” por serem um pouco bobos, mas eu acabei amando da mesma forma. Não poderia ter escolhido melhor maneira de finalizar o livro, e a autora conseguiu me deixar com um sorriso no rosto. Só senti falta de uma maior interação de Evie com certos membros de sua família... Mas as últimas páginas realmente me fizeram esquecer esses apesares, e eu acabei me apaixonando ainda mais por um certo personagem, e realmente espero que quem ler o livro também se apaixone por ele <3

Grandes aventuras podem começar pequenas. Até mesmo do tamanho de uma bala. Sirva-se de uma aventura. – página 232


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...