Como se casar com um marquês

Eu não estava brincando quando disse que havia terminado Como agarrar uma herdeira e já estava lendo o segundo livro...haha'

Título: Como se casar com um marquês
Autora: Julia Quinn
Editora: Arqueiro (cortesia)
Páginas: 320
Edição: 1
Lançamento: 2017
Série: Agentes da Coroa #2
Sinopse: Elizabeth Hotchkiss precisa se casar com um homem rico, e bem rápido. Com três irmãos mais novos para sustentar, ela sabe que não lhe resta outra alternativa.
Então, quando encontra o livro Como se casar com um marquês na biblioteca de lady Danbury, para quem trabalha como dama de companhia, ela não pensa duas vezes: coloca o exemplar na bolsa e leva para casa. Incentivada por uma das irmãs, Elizabeth decide encontrar um homem qualquer para praticar as técnicas ensinadas no pequeno manual. É quando surge James Siddons, marquês de Riverdale e sobrinho de lady Danbury, que o convocou para salvá-la de um chantagista. Para realizar a investigação, ele finge ser outra pessoa. E o primeiro nome na sua lista de suspeitos é justamente... Elizabeth Hotchkiss.
Intrigado pela atraente jovem com o curioso livrinho de regras, James galantemente se oferece para ajudá-la a conseguir um marido, deixando-a praticar as técnicas com ele. Afinal, quanto mais tempo passar na companhia de Elizabeth, mais perto estará de descobrir se ela é culpada. Mas quando o treinamento se torna perfeito demais, James decide que só há uma regra que vale a pena seguir: que Elizabeth se case com seu marquês.

Resenha

Desde a morte dos pais, Elizabeth é a responsável por colocar comida na mesa e vestir seus irmãos mais novos, mas ultimamente as coisas andam difíceis. Logo ela precisará de mais dinheiro para o aluguel, e, sendo um baronete, Lucas precisa ir para Eton. Mas com que dinheiro? Deixando o orgulho de lado, Elizabeth decide que precisa se casar, e bem rápido. Do contrário, os quatro Hotchkisses acabariam na sarjeta.

Trabalhando como dama de companhia de lady Danbury há cinco anos, Elizabeth possuía total permissão para andar pelos cômodos da casa Danbury, e é assim que ela encontra um certo livro chamado Como se casar com um marquês, que contém regras e condutas que ajudam as damas a conquistarem um marquês. Elizabeth não queria necessariamente um marquês, até porque sabia que a alta aristocracia poderia ser bem metida, mas precisava se casar com alguém que tivesse dinheiro. Por que não arriscar? E aproveitando que lady Danbury agora possuía um novo administrador, por que não usar as técnicas ensinadas no livro para conquista-lo?

Acontece que esse novo administrador nada mais era do que James Sidwell, o marquês de Riverdale, sobrinho de lady Danbury. James estava trabalhando disfarçado para tentar descobrir quem andava chantageando a tia, e sua principal suspeita era a própria Elizabeth. Mas suas suspeitas são exageradas, e ele logo percebe que Elizabeth é adorável e adora sua tia... e segue regras idiotas vindas de um livro encontrado na biblioteca de lady Danbury. Ele então se oferece para ajudá-la a encontrar um marido.

Não queria moldá-la segundo um ideal predeterminado qualquer de como deviam ser as jovens inglesas. Não queria ver Elizabeth andando com os olhos baixos, tentando ser misteriosa e recatada. Só queria que Elizabeth fosse ela mesma. – página 141

James tinha sido meu personagem favorito de Como agarrar uma herdeira, o primeiro livro da duologia, então eu estava doidíssima para ler este livro. Talvez eu tenha criado expectativas altas demais, ou simplesmente imaginasse que a história teria mais cenas de ação do que o primeiro livro, considerando que James trabalhava para o Departamento de Guerra... Mas nada disso aconteceu, e eu me peguei, pela segunda vez, lendo um livro da Julia Quinn que não me agradou muito.

Algo na maneira como James agia perto de Elizabeth me incomodava, ele não parecia o mesmo James que eu havia encontrado no primeiro livro, e o fato de eu não ter conseguido gostar totalmente de Elizabeth também ajudou a tornar a história mais arrastada. O romance entre eles também não me convenceu de primeira, mas depois até que se tornou fofo... tirando que Elizabeth achava que James era James Siddons, administrador.

Ah, James se divertiria muito se ela contasse – se soubesse que Elizabeth queria passar uma última semana, ou quinze dias inteiros se ela tivesse sorte, na companhia dele. Queria ouvir a voz dele, sentir o seu perfume e capturar o hálito dele quando James chegasse bem perto. Ela queria se apaixonar e fingir que isso poderia durar para sempre. – página 163

Felizmente, os irmãos de Elizabeth e a própria lady Danbury são um show à parte, o que salva um pouco a história. O resto da salvação fica por conta do bom humor dos personagens e dos momentos engraçados e diálogos divertidos. Também somos presenteados com a aparição de Blake e Caroline (do primeiro livro), que surgem no momento mais conflitante e engraçado da história. Não poderia ser diferente, né?

Enfim, Como se casar com um marquês é um livro bacana, fofo e divertido, mas eu esperava bem mais, principalmente porque, mais uma vez, James fora meu personagem favorito de Como agarrar uma herdeira, e aqui senti que algo se perdeu na personalidade dele. A história é bacana e tudo o mais, só não conseguiu me conquistar, e acho que, depois dessa, vou ficar um tempinho longe dos romances de época... Ou não, já que vem mais um livro da Julia por aí...haha’
Mas não posso negar que o epílogo é a coisa mais fofa <3

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...