Mais lindo que a lua

Oiee pessoas, turu bem?
Pretendo ler MUITO nesse feriado (que pra mim vai até quarta-feira), e o primeiro livro que li/resenhei foi Mais lindo que a lua, da Julia Quinn, lançado agorinha pela editora Arqueiro. Olha, preciso avisar que foi um pouco decepcionante, e mais pra baixo falo os motivos.

Título: Mais lindo que a lua
Autora: Julia Quinn
Editora: Arqueiro (cortesia)
Páginas: 272
Edição: 1
Lançamento: 2018
Série: Irmãs Lyndon #1
Sinopse: Mais Lindo Que a Lua, primeiro livro primeiro livro da série Irmãs Lyndon, é uma história irresistível sobre reencontro e desafios, romantismo e perseverança. Foi amor à primeira vista. Mas Victoria Lyndon era a filha do vigário, e Robert Kemble, o elegante conde de Macclesfield. Foi o que bastou para os pais dos dois serem contra a união. Assim, quando o plano de fuga dos jovens deu errado, todos acreditaram que foi melhor assim. Sete anos depois, quando Robert encontra Victoria por acaso, não consegue acreditar no que acontece: a garota que um dia destruiu seus sonhos ainda o deixa sem fôlego. E Victoria também logo vê que continua impossível resistir aos encantos dele. Mas como ela poderia dar uma segunda chance ao homem que lhe prometeu casamento e depois despedaçou suas esperanças? Então, quando Robert lhe oferece um emprego um tanto incomum – ser sua amante –, Victoria não aceita, incapaz de sacrificar a dignidade, mesmo por ele. Mas Robert promete que Victoria será dele, não importa o que tenha que fazer. Depois de tantas mágoas, será que esses dois corações maltratados algum dia serão capazes de perdoar e permitir que o amor cure suas feridas?

Resenha

“Se deixa-lo me amar, ele vai partir meu coração de novo? Se me permitir amá-lo, ainda poderei ser eu mesma?” – página 184

Quando Robert Kemble, também conhecido como o futuro conde de Macclesfield, vê Victoria Lyndon pela primeira vez, ele se apaixona. Não só pela beleza da jovem, mas também por sua maneira de agir, tão doce e divertida. Mas um casamento entre os dois não seria aprovado pelos pais de nenhum deles. Robert deveria se casar com alguém à sua altura, não com a filha de um simples vigário. E o pai de Victoria, bem.... Vamos apenas dizer que ele imaginava que Robert só queria desonrar a filha. Sendo assim, os dois planejam uma fuga... que acaba dando errado. Sete anos depois, Robert e Victoria se reencontram.

Depois da fatídica noite em que perdeu Robert, Victoria decidira sair de casa. Ela então arranjou empregos como preceptora de crianças – terríveis, mimadas, horríveis – e seguiu com sua vida. Ela estava totalmente infeliz, mas ao menos sobrevivia com o dinheiro que ganhava e não dependia de ninguém. Até que algumas pessoas são convidadas para se hospedarem na casa onde Victoria trabalha, e uma delas é Robert. Ainda magoado pela fuga que não deu certo, sete anos atrás, ele decide que vai se vingar de Victoria e destruir sua vida, mas é claro que ele não consegue fazê-lo, afinal, eles não se amavam desde que eram adolescentes?

Não é segredo que eu sou apaixonada pelos livros da Julia Quinn. A série Os Bridgertons é a minha série de romances de época favorita, e foi a que mais me deu crushes literários. Mas desde Como se casar com um marquês eu ando um pouco receosa em ler os novos livros da autora que estão sendo lançados por aqui, e depois de ler Mais lindo que a lua e quase chorar de decepção – na verdade eu estava mais era querendo pular algumas páginas para chegar logo ao final -, estou certa que preciso dar um tempo nos livros da autora.

Sete anos atrás, Robert tinha sido mais do que o amor de sua vida. Ele fora seu melhor amigo. Agora estava de volta e dissera que a amava. Victoria reprimiu um soluço. Por que tinha de fazer isso agora? Por que não podia deixa-la em paz? – página 147

Eu não engoli essa de amor à primeira vista. Até acredito que possa acontecer, mas não da maneira como ocorreu com os personagens do livro. E a forma como Robert e Victoria agem depois do reencontro me deu nos nervos! Victoria até conseguiu minha afeição, ela às vezes falava o que pensava (eu queria um high-five todas as vezes) e queria conquistar sua independência. Mas Robert... Ele era um verdadeiro pé no saco, e sua maneira de agir (sempre perseguindo Victoria, dizendo que ela precisava se casar com ele, distorcendo o que ela falava e fazia para parecer que ela não sabia se cuidar sozinha e que precisava dele para viver – sem contar um certo sequestro, mil desculpas pelo spoiler) me fez odiá-lo. O romance entre eles não parece real, Robert me pareceu muito obsessivo e possessivo com Victoria, que no começo fala muitos nãos e deixa bem claro que não o quer. Mas parece que algumas pessoas são vencidas pelo cansaço, né? Eu torcia muito para que eles não ficassem juntos, mas a gente conhece o gênero o suficiente para saber que os finais são sempre os mesmos.

Normalmente encontramos personagens secundários maravilhosos nos livros da autora, sempre tem alguém para dar aquela quebrada no drama e fazer o leitor rir, ou aquele personagem que queremos que tenha uma história só para si. Mas aqui não foi assim. Tirando a irmã mais nova de Victoria (que será a protagonista do próximo livro), nenhum outro personagem merece o mínimo destaque, o que foi uma das minhas maiores decepções em relação a este livro.

Robert olhou para as mãos e viu que os nós dos dedos estavam brancos da força que fazia na colher. Não queria Victoria, mas também não queria que outra pessoa a quisesse. – página 98

A coisa que salva mesmo é a escrita da autora, que é leve e divertida em alguns pontos, mas ainda assim, posso dizer (com muita dor no coração) que Mais lindo que a lua foi a minha maior decepção literária deste ano, e percebi que não foi a única pessoa a se sentir assim. Também vi que outras pessoas (fiquei aliviada porque normalmente sou uma das poucas a achar coisas assim e sinto que estou exagerando) acharam o comportamento de Robert dominador e assustador demais, e ver que Julia Quinn enfiou um mocinho assim em seus romances me decepcionou. Sim, claro, Robert vive num século diferente, mas outros personagens de romances de época também, e não me lembro de nenhum deles sendo ASSUSTADOR como ele foi.

Enfim, sinto muito se derrubei as expectativas de vocês (realmente não queria tê-lo feito) ou se contei demais sobre os personagens, mas eu não consegui me segurar. Como mulher, e como leitora apaixonada por romances de época, devo dizer que esse livro foi o mais fraco e o “menos legal” da autora, que é uma das minhas favoritas dessa vida. Realmente espero que o próximo livro da série seja melhor </3

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...