Lady Whistledown contra-ataca

Oiee pessoas \0/
E a maratona acabou </3 acabei de postar os resultados lá no Instagram do blog, e agora trago a resenha do último livro lido: Lady Whistledown contra-ataca, publicado pela Editora Arqueiro, e escrito por quatro autoras.

Título: Lady Whistledown contra-ataca
Autores: Julia Quinn, Suzanne Enoch, Karen Hawkins e Mia Ryan
Editora: Arqueiro (cortesia)
Páginas: 352
Edição: 1
Lançamento: 2017
Sinopse: Com a participação especial da famosa cronista da sociedade criada por Julia Quinn, Lady Whistledown Contra-Ataca é formado pelas narrativas curtas de quatro escritoras consagradas, tendo como fio condutor o roubo de uma pulseira milionária. Seus contos são como pérolas que se unem e formam uma peça de valor inestimável. Quem roubou o bracelete de lady Neeley? Terá sido o caça-dotes? O apostador? A criada? Ou o libertino? Londres está fervendo com as especulações, mas, se ainda restam muitas dúvidas, pelo menos uma coisa é certa: um desses quatro está envolvido no crime. Julia Quinn encanta... Um belo caçador de fortunas foi enfeitiçado pela debutante mais desejada da temporada. Agora ele precisa provar que o que deseja é o coração da jovem, não o dote dela. Mia Ryan delicia... Uma criada adorável e espirituosa está deslumbrada com as atenções românticas que tem recebido de um charmoso conde. Mas um relacionamento entre eles seria escandaloso e poderia arruinar a reputação dos dois.
Suzanne Enoch fascina... Uma jovem inocente que passou a vida evitando escândalos de repente se vê secretamente cortejada pelo maior libertino de Londres.
Karen Hawkins seduz... Um visconde que vaga sem destino volta para casa para reacender o fogo da paixão de seu casamento, mas descobre que sua linda e decidida esposa não será conquistada tão facilmente.

Resenha

Como fã de carteirinha assumida de Julia Quinn, eu tinha ficado muito animada quando vi que a editora Arqueiro estava prestes a publicar Lady Whistledown contra-ataca, que traz contos (apenas um deles escrito pela Rainha JQ) entrelaçados entre si e histórias cujas premissas me deixaram curiosa. É claro que, por serem contos curtos, não são tão desenvolvidos como poderiam caso fossem um livro completo, mas ainda assim conseguiram me conquistar, e vou falar um pouco deles para que os conheçam melhor.

Em O primeiro beijo, conto de Julia Quinn, conhecemos a adorável Srta. Mathilda Howard. Filha única de um conde, ela é a debutante mais desejada pela temporada, tanto pelo seu dote quanto por seus atributos. Temos também Peter Thompson, ex-herói de guerra que agora já não possui quase nem um tostão no bolso, e que voltara para Londres com o único objetivo de arranjar uma esposa. Todos sabiam que ele era um caça dotes, mas ele também era o melhor amigo de Harry Howard, irmão falecido de Mathilda (Tillie), e ainda tinha uma promessa para com ele. Mas como ignorar o fato de que estava se apaixonando pela única garota com quem não poderia se casar?

Eu gostei deste conto, achei tanto Peter quanto Tillie apaixonantes e gostei da maneira como a história se desenvolveu, com momentos divertidos e outros de arrancar suspiros. Só que a história foi curta (obviamente), então o romance entre os personagens e maneira como tudo foi aceito (considerando que Tillie deveria, pelos padrões da época, se casar com um conde) me pareceu um pouco superficial. Ainda assim, foi um conto muito envolvente.

Ela deveria ter prestado atenção à forte decepção apertando seu peito. Ou ao frio na barriga que aumentava toda vez que olhava para ele. Porque, se o tivesse feito, não teria ficado tão surpresa quando lhe entregou uma xicara de chá e os dedos se tocaram, e depois olhou para ele, e ele para ela, e seus olhos se encontraram. E ela sentiu como se estivesse caindo. Caindo... caindo... caindo... – página 30

O segundo conto, de Mia Ryan, traz a história da adorável Srta. Isabella Martin, dama de companhia da famosa lady Neeley. Diferente das tantas outras jovens de Londres, ela não crescera preocupando-se com sua reputação ou em casar-se, até porque ela já estava prestes a completar 30 anos e não tinha nem mesmo sido beijada ou tocada por um homem. Só que isso estava prestes a mudar, e essa mudança se chamava Antony Ruxbury.
Bella Martin é uma personagem muito diferente e única de todas as que eu já conheci em romances de época. Ela não fica se remoendo por causa de sua reputação, não precisa de uma acompanhante quando vai sair, é cheia de alegria e sorrisos, sonha em ter seu próprio negócio. E o melhor de tudo: ela é dona de um senso de humor incrível, e me fez torcer muito para sua felicidade durante todo o conto. Este talvez seja meu segundo conto favorito.

Bella sorriu e balançou a cabeça. Ela disse que ele era um perfeito cavalheiro. E ali estava ele, provando isso mais uma vez. Um perfeito cavalheiro, com um beijo perfeito. Ela o adorava. Sorriu e então cobriu a boca com a mão quando percebeu o que tinha acabado de dizer para si mesma. Ela o adorava. Ela o amava. – página 129

No terceiro conto, cortesia de Suzanne Enoch, conhecemos o libertino lorde Xavier Matson, que precisa casar-se para dar continuidade à sua linhagem. Mas sua vida de libertino o impediu de conhecer damas respeitadas que dariam esposas perfeitas, então ele pede ajuda a um primo e cria uma lista com todas as senhoritas que poderiam ser suas esposas. Só que ele está interessado em apenas uma: Charlotte Birling, uma jovem que evita escândalos sempre que possível, e possui os pais mais conservadores que qualquer um em Londres já conheceu.

Eu não consegui gostar tanto deste conto, acho que algo em “maior libertino da cidade se apaixonar (tão rápido) pela garota mais conservadora” me deixou com um pé atrás, principalmente se considerarmos o fato de que a história tem menos de cem páginas, então acaba se tornando um pouquinho forçada. E eu acabei não gostando tanto dos protagonistas, então acabou que não consegui gostar tanto do conto mesmo </3

Ele calou a argumentação dela com outro beijo. Beijá-la parecia a melhor coisa já inventada. – página 211

O último conto, por Karen Hawkins, traz a história do casal Sophia e Max Easterly, que estavam separados há doze anos, graças a um escândalo que obrigou Max a deixar o país. Cansada de estar sozinha, Sophia escreve para o marido pedindo a anulação do casamento, para que possa finalmente seguir em frente, depois de tanto sofrimento e solidão. Mas ele não vai ceder tão rápido, não quando perceber que a chama do amor entre eles ainda está acesa. Tudo o que Easterly precisa fazer é reconquistar a esposa.
               
Como este era o conto que fecharia o livro, eu estava com expectativas bem altas. De longe, Sophia foi minha personagem feminina favorita de todos os quatro contos, mas algo em Max me impediu de gostar dele até o final da história. Até lá, eu só conseguia pensar que ele era um homem muito caprichoso que havia abandonado a esposa e que, quando ela decidira que estava cansada daquele “casamento falso”, seu orgulho falara alto demais e ele queria resolver tudo. Demorei para conseguir gostar dele, mas Sophia conseguiu compensar...haha’  Por mais que eu tenha gostado do conto da Karen (o achei melhor desenvolvido e mais interessante [e original] do que os outros) também o achei um pouco cansativo. Ainda assim, é o meu conto favorito
.
A verdade era que ainda o amava. Nunca deixou de amá-lo. Antes, porém, o amava e confiava nele de todo o coração, mas foi desprezada ao primeiro erro. Não queria se machucar daquela forma novamente. Nunca mais. – página 316

*
Apesar de não ter gostado totalmente de nenhum dos contos, principalmente por serem curtos (dãã) e, como consequência não terem sido tão desenvolvidos como poderiam, eu adorei o livro. Foi interessante acompanhar os romances surgindo e os casais se apaixonando, e eu estava doida para saber quem diabos havia roubado a tal pulseira. Tive minhas suspeitas e fiquei feliz quando percebi que estava certa a respeito do ladrão, mas achei o final do livro todo bem abrupto.
De qualquer forma, foi uma leitura válida que matou minhas saudades da escrita da Julia Quinn, e eu pude conhecer escritas de autoras que eu até então não conhecia. Gostei muito de todas, e estou ansiosa para ler outras histórias de Suzanne, Karen e Mia. E claro, mais JQ.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...