Frankenstein - entre anjos e demônios

Lançamento:  (1h33min
Dirigido por: Stuart Beattie
Com: Aaron Eckhart, Bill Nighy, Yvonne Strahovski 
Gênero: Terror , Suspense , Ação
Nacionalidade: EUA , Austrália
SinopseO monstro de Frankenstein, agora com o nome de Adam, sobreviveu até os dias atuais. Tentando encontrar seu próprio caminho, ele acaba se envolvendo em uma guerra entre dois clãs imortais em uma cidade ancestral chamada Darkhaven.

                  Não recomendado para menores de 12 anos 


Normalmente não gosto muito de filmes/livros/séries sobre anjos e demônios, mas acabei por dar uma chance á Frankenstein, esse não parecia ser um filme clichê, principalmente por causa do personagem principal. Bom, não posso dizer que minhas expectativas para com ele foram "saciadas", mas também não me arrependi de tê-lo visto.

Como todos sabem, Victor Frankenstein tentou reanimar um homem, que na verdade, era feito de pedaços de oito cadáveres diferentes, e conseguiu. A "criatura", como todos o chamam, então "renasceu", mas não ficou muito feliz em estar vivo novamente, e vingou-se de seu criador matando a amada esposa dele.
Victor então foi atrás da fera para matá-la, mas não passou por sua cabeça que ela era bem mais forte que ele, e que precisaria de muito mais que um humano para matá-la.
Por mais que a "criatura" não fosse humana, mostrou-se muito mais sentimental do que eu esperava, inclusive enterrou Victor no cemitério de sua família.


Como não podia ser diferente, a "criatura" é atacada por demônios, enviados pelo príncipe demônio Naberius, que está criando um exército de demônios para destruir a humanidade. Naberius não mostra sua verdadeira face até o final do filme, quando finalmente enfrenta a criação de Victor.
Temos também os gárgulas, ou anjos, que estão em pouquíssimo número e tentam salvar a humanidade. Eles são comandados por Leonore, a única gárgula com poder o suficiente para entrar em contato com os arcanjos.


Achei bem estranho as gárgulas estarem em pouco número. Elas não trabalham para o tão poderoso Deus? Eles não teriam poderes "especiais" para acabar com os demônios? Desculpem a ignorância, mas achei engraçado o fato dos demônios serem mais espertos e mais fortes que os "anjos".


É de se esperar então que a "criatura", então nomeada Adam, ficasse entre os dois lados, afinal, ele era parte daquela guerra. Adam não tem alma, então ele seria um ótimo hospedeiro para almas demoníacas que foram enviadas ao inferno depois de mortas, e também era um ótimo exemplo de reanimação humana, o que só ajudaria o exército de Naberius a se fortalecer.

O filme é recheado de ação, muita mesmo, e como o vi em 3D, foi ainda mais emocionantes ver as lutas. O filme tinha tudo para ser maravilhoso, e ganharia nota máxima se não fosse por uma coisa: romance. Confesso que não esperava um romance no meio desse filme, não havia espaço para um amor, mas me decepcionei quando vi Terra, uma cientista que trabalha para Naberius (sem saber quem ele realmente é), e o jeito que ela olhava para Adam.


O final é bem clichê, não esperava que ele fosse assim também, mas gostei muito do filme, muito mesmo.

MilkMilks
Dryh Meira

3 comentários

  1. Não conhecia o filme, mas é do tipo que eu curto assisti, apesar de que tb achei irônico ter menos anjos que demônios e estes últimos serem mais fortes.
    sete-viidas.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. era para ser o contrário né Monique, principalmente pelos anjos serem do "bem" e tals...

      Excluir
  2. não estou muito interessado em ver esse filme beijos
    livro-azul.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Oiê! Muito obrigada por passar por aqui, deixe um recadinho com o link do seu blog e a gente dá uma passadinha lá mais tarde :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...