Um sedutor sem coração

Oiee pessoas, tudo bem com vocês?
As férias estão quase no fim, mas eu estaria mentindo se dissesse que estou lendo muito...hehe' Minha pilha de não-lidos parou de crescer, mas não está diminuindo muito, não. - shameonme
Hoje eu trouxe a resenha de Um sedutor sem coração, da Lisa Kleypas. É o primeiro livro da série #OsRavenels, que contará com quatro volumes.

Título: Um sedutor sem coração
Autora: Lisa Kleypas
Tradutora: Ana Rodrigues
Editora: Arqueiro (cortesia)
Páginas: 320
Edição: 1
Lançamento: 2018
Série: Os Ravenels #1
Sinopse: Devon Ravenel, o libertino mais maliciosamente charmoso de Londres, acabou de herdar um condado. Só que a nova posição de poder traz muitas responsabilidades indesejadas – e algumas surpresas. A propriedade está afundada em dívidas e as três inocentes irmãs mais novas do antigo conde ainda estão ocupando a casa. Junto com elas vive Kathleen, a bela e jovem viúva, dona de uma inteligência e uma determinação que só se comparam às do próprio Devon.
Assim que o conhece, Kathleen percebe que não deve confiar em um cafajeste como ele. Mas a ardente atração que logo nasce entre os dois é impossível de negar.
Ao perceber que está sucumbindo à sedução habilmente orquestrada por Devon, ela se vê diante de um dilema: será que deve entregar o coração ao homem mais perigoso que já conheceu? Um sedutor sem coração inaugura a coleção Os Ravenels com uma narrativa elegante, romântica e voluptuosa que fará você prender o fôlego até o final.

Resenha

“Milady... Conheço muitos fatos científicos sobre o coração humano, e um deles é que é muito mais fácil fazer um coração parar de bater em definitivo do que evitar amar a pessoa errada. – página 174

Devon Ravenel nunca quisera ter responsabilidades. Libertino assumido, ele e o irmão West sempre viveram tranquilamente entre bebidas, clubes para cavalheiros e mulheres, mas quando o conde de Trenear, também conhecido com o primo dos irmãos, morre, toda a propriedade (e a responsabilidade para mantê-la) cai sobre os ombros de Devon. Ele nunca havia pedido por um lugar caindo aos pedaços como aquele, e certamente não queria ter que olhar por três jovens solteiras que nunca haviam tido uma temporada em Londres.... Muito menos ter que conviver com a viúva do falecido conde.

Kathleen estava casada há três dias quando ficou viúva. Não teve tempo de amar o marido, mas ainda assim, se culpava pela morte de Theo. Apesar de que essa era a menor de suas preocupações.... Agora que a propriedade pertencia a outra pessoa, e essa outra pessoa parecia determinada a se livrar do condado e de todos que ali viviam – incluindo ela e as irmãs de seu falecido marido -, sobraria para Kathleen decidir o que fazer. Para onde iriam todos? Será que ela não conseguiria fazer o novo lorde Trenear mudar de opinião?

“- Veja bem – começou Devon friamente -, o máximo que já precisei administrar na vida foi um apartamento, uma cozinheira, um valete e um cavalo. Agora, querem que eu tome conta de uma propriedade falida com mais de duas centenas de arrendatários. Acredito que isso merece certa consideração. E até mesmo alguma compaixão.”“Coitado do senhor. Deve ser muito desafiador, além de inconveniente, ter que pensar em outra pessoa além de si próprio.”- página 15


Desde o início do livro, Kathleen se mostrou uma personagem com muita atitude, e mesmo quando cedia às investidas de Devon, ela sabia o que estava acontecendo e sabia das consequências. Sentindo-se responsável pelas irmãs mais novas de Theo, Kathleen buscava fazer o melhor para as meninas, mesmo sabendo que as chances de as três conseguirem um marido seriam quase nulas – Theo não havia deixado nenhum dote para nenhuma delas, e dificilmente Devon teria dinheiro para tal: a propriedade estava em ruínas! Isto é, se ele decidisse mantê-la.


A escrita da Lisa é bem rápida e envolvente, e o fato de a história não ficar só nas farpas entre Kathleen e Devon só me fez gostar ainda mais do livro! Temos aqui uma abordagem muito interessante de West, irmão mais novo de Devon, e também de Helen, Pandora e Cassandra, as irmãs do falecido conde. A autora também acertou em trazer um pouco de Winterborne, o protagonista do próximo livro.

Meu único problema foi com a personalidade de Devon. Os homens de sua família eram conhecidos por perderem o controle facilmente, mas eu não vi West agir como idiota, da maneira como Devon muitas vezes agia, em nenhum momento. Ok, talvez em um.
Já li muitos romances de época em que os personagens principais masculinos eram muito possessivos com as mocinhas e tinham personalidades irritantes, mas também li vários em que eram apaixonantes e sabiam se colocar em seus lugares. Mesmo constando na sinopse que Devon era libertino, eu tinha esperanças de que ele não seria tão arrogante. Bem, ele era. Tinha seus momentos fofos e tal, mas eu peguei ranço dele...haha’

Uma coisa MUITO legal neste livro, porém, é: ele é cheio de surpresas. A gente pode até imaginar que os personagens vão ficar juntos no final, mas é tudo o que sabemos. Muitos romances de época seguem a mesma linha e acabam se tornando um clichê, mas Um sedutor sem coração possui a vantagem de não ser nem um pouco clichê: muitos acontecimentos surpreendentes, reviravoltas e momentos tensos. Posso dizer que Lisa Kleypas conseguiu me reconquistar como leitora, e estou doida para ler os próximos livros – sinto muita curiosidade em relação à Helen e seu comportamento misterioso, e estou doida para ver Cassandra e Pandora laçando alguém!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...