O lago negro

Título: O lago negro
Autora: Juliana Daglio
Editora: Arwen (cortesia)
Páginas: 368
Edição: 1
Lançamento: 2015
Sinopse: Verônica é uma garota problemática marcada por um passado traumático do qual mal se lembra, mas que lhe tirou o direito à total sanidade. Ao se mudar para o interior, depois de passar no vestibular, ela se depara com o local perfeito para se inspirar e, finalmente, transformar seus personagens imaginários em um livro. Lagoana é uma cidade nebulosa, úmida, habitada por almas quietas e pouco amigáveis. Porém, o clima obscuro não despertará somente a criatividade, mas também acordará seus fantasmas mais profundos. Prestes a perder o controle sobre sua trama e sua mente, Verônica conhece um estrangeiro de sorriso cafajeste e olhos azuis e, desconfiada de suas intenções, ela guarda segredo quanto ao seu livro, mas não sabe que Liam também tem os seus. Verônica nem desconfia, mas eles podem ser a chave para os mistérios que a rondaram durante toda sua vida. Assim, o lago negro de sua imaginação será, definitivamente, o estopim para toda sua loucura emergir. O que será que ele esconde no fundo de suas águas escuras?
Resenha


“Você tem que me encontrar. De verdade.” – página 18

Verônica acabou de passar em primeiro lugar numa faculdade muito concorrida, a UFI (Universidade Federal Interiorana), que fica na cidade de Lagoana, no interior do estado de São Paulo. Ela então se muda para a tal cidade, junto com Enzo, seu namorado há oito anos, que também passara nos vestibulares da tal universidade.

Mas eles têm uma surpresa quando chegam em Lagoana: as pessoas não são nem um pouco simpáticas, e parecem odiar todo e qualquer forasteiro que apareça por lá, principalmente os estudantes da faculdade, e a família Caprini, que, por alguma razão (até então desconhecida para Verônica e para o leitor) é reclusa e misteriosa. Mas Verônica não iria desistir do curso só por causa disso, afinal, ela tinha Enzo, e Lagoana era o lugar perfeito para escrever seu livro.

Verônica faz amizades (e algumas inimizades, como o charmoso Liam ), começa a escrever seu livro e passa a trabalhar como babá de Lizandra, a filha do casal Caprini, mesmo que eles pareçam estranhos e sejam odiados pela cidade toda. E é aí que as coisas começam a ficar conturbadas. Certos acontecimentos fazem com que Verônica passe a procurar por respostas e por seu passado, que parece esconder mais coisas do que ela imagina. Desde quando a história de seu livro estava em sua cabeça? E seria possível que seus personagens não fossem inteiramente frutos de sua imaginação?

Abro os olhos, vejo uma imensidão de águas turvas a me afundarem cada vez mais. Lá em cima ficando muito distante, está o sol, extinguindo-se na escuridão inexorável das partículas da água. E eu afundo... – página 233

É interessante como as coisas do livro de Verônica parecem não ser apenas fictícias, e é legal tentar adivinhar o que está acontecendo, e os motivos de as histórias e os personagens da personagem principal parecerem ser reais, e estarem lá em Lagoana. Ela é uma vidente? Ela tem poderes sobrenaturais? Ela é louca e imagina um mundo todo em sua cabeça, misturando ficção com realidade? Estou curiosa para saber o que acontecerá no segundo volume da série, que eu com certeza vou querer conferir.

As palavras que brotam de meus dedos aparecem na tela magicamente, acordando dentro de mim como se sempre estivessem lá. Não era como escrever um livro, ou inventar uma história. Era como despertar uma história. – página 58

Verônica foi uma personagem que não me conquistou de início, e ver a forma não muito amigável com a qual ela passou a tratar Enzo e Liam ao longo da história me impediu de sentir afeição por ela, mas a protagonista é sofrida, e eu tenho uma certa quedinha por personagens sofridos, então foi impossível não gostar dela durante o livro todo. Quando Verônica começou a mergulhar em turbilhões de pensamentos e no mistério todo que cercava sua vida, ela me conquistou, e eu passei a torcer pelo seu final feliz, que, acredito eu, aparecerá somente (ou não) no terceiro livro. Até lá, haja coração.

Ali, de frente para o lago negro, ela poderia chorar suas maiores dores. Estava em casa. Só precisava mergulhar. – página 166

A única coisa que me incomodou em O lago negro foi encontrar vários erros de digitação, o que eu achei que não aconteceria, pois não me lembro de ter visto isso antes nos livros da editora. Espero que esse seja o primeiro e último livro com esse tipo de coisa, pois, por mais que não tenham sido muitos, ainda assim incomoda, né?

Enfim, o livro é muito bom, e, novamente, a Juliana Daglio faz aquela coisa maravilhosa de bugar a cabeça do personagem principal e do leitor, fazendo com que nós fiquemos um pouco perdidos nos pensamentos de Verônica, ela me fez sentir o que Verônica sentia, e me fez ficar um pouco doida com os acontecimentos, querendo saber logo os motivos e as respostas do mistério todo. Vi isso em Uma canção para a Libélula, e encontrei isso aqui também.

Por muitas vezes eu sentia o mundo ao meu redor como se fosse apenas uma alucinação prolongada. Era como se eu estivesse constantemente sonhando. Durante esses períodos, coisas terríveis me vinham em mente. Os monstros em minha mente com suas vozes ocas. – página 78

Estou mega curiosa para ler o próximo livro (que venha logo!), e espero que ele seja tão bom quanto O lago negro, e espero também que a Verônica e Liam se aproximem mais, pois, por mais que esse não seja o foco principal do livro, eu adoro um romance!

17 comentários

  1. Pela sinopse acho que vou gostar da leitura. Gostei da capa <3
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. espero que você goste do livro, Luiza :)

      Excluir
  2. Nossa, que capa maravilhosa!!! Quero muito ler esse livro depois de ler sua resenha. Pelo visto, sua leitura foi bem válida e conseguisse transmitir bem isso nas suas considerações. Espero ler em breve então. Obrigada pela dica!!!
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  3. Oi Dryh!

    Conforme fui lendo a tua resenha, fui associando a protagonista a esquizofrenia. Eu já li um livro onde a protagonista era uma narradora não confiável e eu fiquei meio surtada. Esse livro tem um mistério muito gostoso e eu fiquei muito curiosa para saber se a Verônica é doida mesma, é vidente ou simplesmente estava escrevendo sua ficção. Eu adoro tramas assim. Eu acho que vou gostar dela, porque assim como você, eu adoro personagens sofridas. HAHAHAHHA ai quero ler logo <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hehe' personagens sofridas são as melhores ♥ espero que você goste do livro, Anelise :)

      Excluir
  4. Oi, sou doida pra ler esse livro, vi tantos comentários bons sobre ele, que estou curiosa! Fiquei super com vontade de saber mais com detalhes os mistérios que acontecem e sobre o livro que ela escreve mas só lendo o livro pra saber mesmo, rsrs.

    Beijos
    www.apaixonadaporleiturass.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi, não conhecia o livro e nem a autora, mas adorei a capa, aliás, a Arwen sempre manda bem demais nas capas e arte gráfica dos seus títulos. Achei bem original essa coisa da cidade do interior antagonizar os novos estudantes e deste clima de mistério. Amo livros nacionais ambientados aqui no Brasil, ainda que a cidade em questão seja fictícia. Anotei a dica e espero conferir em breve.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oie!
    Gostei da capa desse livro, e achei uma pena ter os erros de digitação... assim como os erros de revisão, isso é algo que desanima durante a leitura. Quanto a trama, bem interessante esse lado misterioso, esse fato dela poder ser uma vidente, e ainda ambientada aqui no Brasil. Muito bom.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  7. Olá Dryh,
    Já tinha visto a capa desse livro por aí e ficado bem interessada. Confesso que saber que a autora bugou a cabeça do personagem e fez com que o leitor sentisse é incrível e me faz querer muito ler.
    Tenho muita vontade de ler Uma Canção para Libélula e esse livro também.
    Parabéns pela incrível resenha. Vou ali comprar logo meu exemplar.
    beijos,
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá!

    Ainda não li nada da autora, e seria bom conhecê-la através de Lago Negro, que tenho que escrever: tem uma capa linda! Não gosto de personagens mimizentas, e pelo o que você relatou, acredito que Verônica não seja assim, realmente é mais fácil sentir um "apego" por personagens que sofrem, quando na verdade deveria ser o contrário hahaha. Enfim, não é um estilo de livro que costumo ler, mas gostei da sua resenha e por isso anotei a dica.

    Beijos,
    http://entreoculoselivros.blogspot.com.br/2016/03/resenha-111-pequenas-grandes-mentiras.html

    ResponderExcluir
  9. Oi Dryh, eu estou louca por esse livro. Suas impressões me ajudaram a ficar mais curiosa kkk acho muito bom quando um personagem não nos conquista logo de cara e depois ele vai nos ganhando aos poucos. Pelo que você falou, eu acho que vou gostar muito da leitura e desejar ler o próximo volume também.

    ResponderExcluir
  10. Olá,
    tenho o perfil da autora no facebook e tenho acompanhado a divulgação pesada que ela tem feito desse livro, desde lá já estava super curiosa e com muita vontade de ler, agora então após ler sua resenha, que foi a primeira que li do livro, fiquei ainda mais interessada, vou tentar providenciar meu exemplar, dou muito valor a nossa literatura, e esse parece ser um livro e tanto.

    Abçs
    Sou bibliófila

    ResponderExcluir
  11. Olá, Dry! Muito obrigada por novamente abrir um espaço aqui para um dos meus lviros. Fiquei muito feliz com sua resenha, e em saber que a Verônica foi te conquistando aos poucos. :D
    A continuação já está pronta e esperando por vocês. Espero que nela os erros sejam corrigidos.

    Um grande abraço e muito obrigada, mais uma vez!!

    ResponderExcluir
  12. Dryh lindona eu amo a escrita da autora sempre poética e carregada de emoções, li um livro da autora e amei sua escrita estou curiosa com esse livro, e quero conhecer mais sobre a personagem que aos poucos te conquistou conforme suas emoções e problemas vieram a tona. A capa está linda. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  13. Olá!! :)

    Já tinha lido alguns comentários da série... Mas nenhum tão positivo ainda!! :) Ainda bem que gostaste e esperas ansiosamente o próximo!! ;)

    Ah! Acho muito interessante quando os autrores nos fazem sentir o mesmo que o protagonista, permitindo que nos percamos nos seus pensamentos... :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  14. Olá tudo bem?
    Nunca li nada da Ju, mas ela é um amor, tenho um livro dela aqui que ganhei de um sorteio em sua fanpage e ela foi uma amor, me mandou uma caixa linda e recheada de mimos e uma caneca que eu não largo, faço niver no mesmo dia da mãe dela e achei isso mega legal hehehehe;
    A premissa de O lago Negro me agrada, e quero muito ler. Também sou apaixonada por personagens sofridas, mesmos aquelas que nos irrita as vezes e pelo que você disse Verônica é uma dessas personagens kkkk
    Adorei o namorado dela se chaamar Enzo, o nome do meu baby que está para chegar ehheheh
    Uma pena o livro ter muitos erros de digitação, uma falha da revisão :(
    Amei de verdade a resenha.

    ResponderExcluir

Oiê! Muito obrigada por passar por aqui, deixe um recadinho com o link do seu blog e a gente dá uma passadinha lá mais tarde :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...